Does not speak Portuguese? Understand English?

See our blog in English: http://plus-planet.blogspot.com/

Apresentação Blog!

Se não formos nós a preocupar-nos com o futuro da "nossa casa" quem será? Neste blog irão encontrar informações sobre o que cada um pode e deve fazer para salvar o nosso Planeta.Conto com os vossos comentários, sugestões e reclamações para ajudar a construir este blog e a divulga-lo o mais possível.

Criado a 22 de Abril de 2012

Obrigado pela sua visita!


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Tudo o que tem a saber sobre o Planeta Terra

O Planeta Terra está localizado no sistema solar, sendo o terceiro mais próximo do Sol, dos oito planetas que o compõem. O “planeta azul” como também é conhecido, é coberto, em mais de 70%, por água dos oceanos, sem considerar os rios e mares que ficam na parte seca do planeta. Composta por cinco continentes, a área seca tem 148.647.000 Km2. Já os oceanos têm uma área estimada de 361 milhões de Km2, abrigando diversas formas de vida, animais e plantas aquáticos. É único planeta do qual se tenha notícia de ter seres vivos.

    Em nível espacial, tem uma característica bastante importante para que haja vida em seu interior: a existência de atmosfera. É composta por vários gases, sendo o nitrogênio, o oxigênio e o argónio os três principais gases da atmosfera. Ela serve para vários fins, entre eles, proteger a Terra de raios ultravioletas e prover oxigênio para a respiração dos seres vivos. A Terra realiza os movimentos de translação, que é o movimento em torno do Sol, durando 365 dias (um ano) e o movimento de rotação, movimento em torno de seu próprio eixo, que dura cerca de um dia ( 24 horas).

    A Terra tem várias camadas para dentro. A crosta é a camada mais externa e onde vivemos. Ela, junto a uma camada acima do Manto, é chamado de Litosfera, que é totalmente sólida. Abaixo existe o Manto, uma camada composta de silício, ferro e magnésio. O mais interno é o núcleo, que tem uma parte líquida e outra sólida, mesmo estando à altíssimas temperaturas. 

    Na região da Litosfera é que estão localizadas as placas tectônicas. Essas placas são pedaços de Litosfera que ocupam toda Terra. A Terra tem sete grandes placas tectônicas e muitas outras menores. Elas ficam umas “encaixadas” nas outras e essa área que está entre uma placa e outra são os pontos de ocorrência de terremotos e de vulcões. Isso porque quando uma placa “fricciona” a outra, os resultados podem ser vulcões ativos, terremotos, tsunami entre outros.  

    Sua forma não é perfeitamente arredondada, mas sim um pouco achatada e inclinada, cerca de 23 graus. Essa inclinação aliás, influencia, junto à translação, para determinar as estações do ano (inverno, verão, outono e primavera). Tem uma massa de, aproximadamente, 5,973.1024 e volume em torno de 1,083. 1012. É o maior dos planetas sólidos, já que os outros planetas maiores que a Terra, no sistema solar, são gasosos. Tem em si várias linhas imaginárias, como os trópicos de Capricórnio, de Câncer, a linha do Equador (linha que corta a terra ao meio dividindo-a em norte e sul) e o meridiano de Greenwich (também cora a Terra ao meio, mas desta vez na vertical, dividindo em lados leste e oeste). Não são somente essas linhas, existem vários trópicos e meridianos, ajudando, por exemplo, a definir o fuso-horário nas diferentes cidades do mundo.

    Mas para que se chegasse ao planeta em que vivemos e para que ele adquirisse essa formação foram anos de formação. Segundo os evolucionistas foram mais 4,6 bilhões de anos. Para os criacionistas foram de 6 a 10 mil anos. As divergências entre essas duas correntes não param por aí: a forma como a Terra se formou, de como a vida surgiu e sobre como a vida possa, possivelmente acabar, também assuntos que as duas linhas de raciocínio não acharam ponto comum.

História da Terra


Existem duas teorias para explicar a formação do planeta Terra. A conhecida discordância entre a teoria criacionista e a evolutiva ainda rende discussão em todo mundo. A primeira, a criacionista, crê que um ser superior responsável pela origem da vida.
Para eles Deus fez todo o planeta, assim como as plantas e os corpos celestes. Assim, a Terra, segundo o criacionismo, teria entre 6 a 10 mil anos, tendo sido criado num período de 6 dias, segundo livro de Gênesis, no capítulo 1 da Bíblia. Quanto às formações biológicas da Terra, acredita-se que tenha sido causada pelo dilúvio ocorrido nela, o qual teria destruído tudo, menos Noé, sua família e os animais que estavam dentro da arca.

    A outra versão para a formação da Terra parte de uma possível explosão, muito potente, há 13 bilhões de anos, apelidada de Big Bang. Essa explosão teria dado origem à matéria de todo o universo. A Terra teria sido formada a, aproximadamente, 4,6 bilhões de anos, resultante de uma poeira e gás espaciais que sobraram da formação do Sol. Tendo seu início em estado de fusão, o tempo, e outros fatores, fizeram com que uma parte ficasse seca, separando essa porção da água. Essa porção seca da terra estava agrupada numa espécie de supercontinente, que mais tarde foi chamado de “Rodínia”. Depois, com separações e reagrupamentos de terra, foram formados outros “supercontinentes” chamados de Panótia e depois a Pangéeia.


    A partir da solidificação da Terra em torno da águas e da formação dos “supercontinentes”, foram divididas eram para organizar os períodos de grandes mudanças na terra. São as chamadas Eras Geológicas, divididas em era Arqueozoica, Proterozoica, Paleozoica, Mesozoica, Cenozoica.


    A primeira, Era Arqueozoica, ocorreu a formação da crosta terrestre, dos escudos cristalinos e de rochas magmáticas. Teve início, provavelmente, há 4 bilhões de anos atrás.


    A Era Proterozoica foi o período em que primeiro se teve evidências de oxigênio na atmosfera. Além disso, fósseis com organismos unicelulares são datados dessa época. Muitos vulcões estiveram ativos nesse período. Isso fez com que o magma existente no interior da Terra fosse para o exterior e causasse a formação de muitos metais como, por exemplo, o manganês. Teve início por volta de 2,5 bilhões de anos e terminou há 550 milhões de anos.


    Era Paleozoica, que durou entre 542 e 251 milhões de anos atrás, foi a era em que houve os dois extremos do desenvolvimento da vida no planeta: em seu início houve a chamada explosão Cambriana, que foi o crescimento e a diversificação de várias espécies de animais. Já no final houve uma severa extinção da vida animal, sendo a causa dessa extinção ainda desconhecidas. Assim como os animais, a plantas também tiveram um grande desenvolvimento nesse período. Espécies como o tubarão e a aranha surgiram nessa época.


    Já a Era Mesozoica, que ocorreu há 500 mil anos, foi a época do surgimento dos dinossauros ( no período jurássico dessa fase) e também  divisão da Pangea em dois continentes: a Laurásia e a Gondwana. Outros pequenos animais e também mamíferos nasceram nessa época, assim como árvores mais altas. Porém, na mesma Era Mesozoica, os dinossauros, que tinham domínio da Terra, foram extintos por uma causa ainda desconhecida. Entre as teorias mais aceitas está a de que a colisão de um cometa com a Terra tenha sido a causadora desse evento. Com isso os mamíferos “herdaram” as condições de dominantes da terra.


    Por fim, a  Era Cenozoica teve início há cerca de 65,5 milhões e dura até hoje. É um período marcado pelas mudanças na crosta terrestre, dando origem, inclusive, a  cadeias de montanhas, como a Cordilheira dos Andes. Também houve a formação dos continentes como estão hoje, as divisões de oceanos e o nascimento da espécie humana. Também outros mamíferos e primatas tiveram início na Era Cenozoica.

Os Continentes

 Continentes são grandes porções de terra que abrigam diferentes formas de vida, vegetação, clima, geografia, sendo rodeado de água. Existem duas formas de se definir um continente. A primeira é dizer que um continente é um conjunto de países. A segunda é considerar continente como toda porção de terra maior que a maior ilha do mundo: a Groenlândia. No caso da Oceania, a primeira definição é melhor aceita, já que esse continente é formado, também, por ilhas e arquipélagos. São cinco continentes políticos  e quatro continentes físicos. A diferença entre os dois está no ato do político ter divisões políticas de países (como Brasil, França, Bélgica e outros). Já a divisão física se baseia na estrutura física em territórios de área, território. Os continentes na divisão física são: América, Eurafrásia, Austrália e a Antártida. Já a divisão política tem a América, Europa, Ásia, África, Oceania e Antártida.

    O continente Americano tem em torno de 42 milhões de Km2  e uma população de mais de 900 milhões de pessoas. Esse continente tem o diferencial de possuir duas grandes massas continentais, ligadas por um istmo (uma quantidade de terra cercada por água por dois lados e que liga duas áreas de terra). As duas massas continentais são a América do Sul e a América do Norte. Já esse istmo é a chamada América Central. A América do Norte é composta por três países: Estados Unidos, México e Canadá. Dos três, o maior em extensão é o Canadá, com 9.984.670 Km2. A América Central tem os países de Antígua e Barbuda, Bahamas, Belize, Costa Rica, Cuba, Dominica, El Salvador, Granada, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristovão e Nevis, São Vicente e Granadinas e Trinidad e Tobago. Seu maior país, em extensão, é a Nicarágua. Já a América do Sul é formada por 12 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. Desses, a maior área é a do Brasil, com 8.514.877 Km2.
Por estar presente no hemisfério Norte e do Sul, tem um boa variedade de climas e de vegetação. Os climas predominantes, principalmente no norte da América do Sul, na América Central e no México são os climas tropicais e temperados. A América do Norte tem áreas de clima árticos gelados (como no Alasca e na Groenlândia). Outras áreas, como a dos Estados Unidos e do Canadá, tem estações do ano bem definidas, e inverno rigoroso. Com a variação de climas, a variância de vegetação é inevitável. Enquanto na América do Norte, no Canadá e nos Estados Unidos pinheiros e árvores mais resistentes às baixas temperaturas são característicos, no México, a vegetação é exigida no sentido aguentar altas temperaturas. Na América do Sul, está localizada a maior floresta e ecossistema do mundo: a Floresta Amazônica, dominada por árvores grandes, com clima úmido e altas temperaturas. O relevo do continente começou a ser formado na Era Paleozoica ( especialmente na América do Norte). A Era Mesozoica foi de grandes mudanças para o continente Sul americano, sendo a data de separação da massa de terra que viria a ser a América do Norte.

    A Europa é o segundo menor continente do mundo, sendo maior apenas do que a Oceania. Sua extensão é de, aproximadamente, 10.180.000 Km2, menos de 7% da parte seca do planeta.

Tem  50 países, sendo que, desses, o maior, em território, é a Rússia, com 75.075.200 Km2. Os países que compõem esse continente são: Albânia, Alemanha, Andorra, Armênia, Áustria, Azerbaijão, Bélgica, Bielorússia, Bósnia e Herzegóvina, Bulgária, Cazaquistão, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Geórgia, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Islândia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia, Malta, Moldávia, Mônaco, Montenegro, Noruega, Países Baixos (Holanda), Polônia, Portugal, Reino Unido, República Checa, Romênia, Rússia e San Marino.

    Seu clima está ligado ao fato de estar na faixa temperada do planeta. Conta com a corrente do Golfo para deixar seu clima “menos frio”, já que a corrente aquece a Europa mesmo no seu inverno rigoroso. Apesar de pequeno, o continente europeu apresenta grande variedade de relevos. Alpes, na Suíça, Planícies da Alemanha, penínsulas... O terreno é realmente bem variado. De forma genérica, o sul europeu tende a ser mais montanhoso, e no norte, o terreno vai “diminuindo”. Assim como os solos, a vegetação europeia também é variada. Algumas das encontradas no continente são a de estepes, floresta temperada, tundra, florestas coníferas e outros.


    A Ásia é o maior continente, em território, do mundo, ocupando 30% da terra seca do planeta e 9% da superfície de toda a Terra. São 49 países, apenas um país a menos do que a Europa, sendo que, alguns deles participam simultaneamente de Ásia e Europa. Isso explica o fato da Rússia ser o maior país, em extensão, desses dois continentes. Os países que compõem o continente são: Afeganistão, Arábia Saudita, Armênia, Azerbaijão, Bahrein, Bangladesh, Brunei, Butão, Camboja, Cazaquistão, China, Chipre, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Egito, Emirados Árabes Unidos, Filipinas, Geórgia, Iêmen, Índia, Indonésia, Irã, Iraque, Israel, Japão, Jordânia, Kuwait, Laos, Líbano, Malásia, Maldivas, Myanmar, Mongólia, Nepal, Omã, Paquistão, Qatar, Quirguistão, Rússia, Singapura, Síria, Sri Lanka, Tadjiquistão, Tailândia, Timor-Leste, Turquemenistão, Turquia, Uzbequistão e Vietname.


    O relevo desse continente é marcado por ser de extremos: abriga o ponto mais alto da terra (Monte Everest) e o maior depressão absoluta da terra (Mar Morto). Os pontos altos ficam por conta das cordilheiras, do qual a maior é a do Himalaia. O início da formação desse continente foi na Era Pré-Cambriana, tendo na Era Paleozoica novas alteração que resultaram em grandes bacias sedimentares. Nas eras seguintes, como a Mesozoica em que houve um aumento da sedimentação, e na Cenozoica também ocorreram modificações que resultaram no atual relevo asiático. O clima  varia segundo o extenso território asiático se estende: no extremo norte, o clima polar é predominante; no centro, sem a influência marítima, o clima temperado continental é o característico. Para o extremo sul, em virtude das cordilheiras impedirem a passagem da umidade do oceano, resta o clima árido e semiárido.


    A África tem 30 milhões de Km2, o que representa 20% da terra firme do planeta. É o terceiro maior continente em extensão e o segundo mais populoso. Tem 54 países, sendo o maior o Sudão, com 2.505.813 Km2.  Seu relevo, em sua maioria, é formado de planalto, com altitude média de 750 metros, sendo que o litoral apresenta planícies. No oriente, no entanto, há uma sequência de montanhas e depressões que resultam em grandes lagos. Já o clima do continente é marcado, ao menos na região sul e norte, pelos climas árido, semiárido e desértico. Exemplo disso é o deserto do Saara , localizado no norte do continente. As chuvas se concentram na região “central” do continente, no qual passa a linha imaginária do Equador. Seu relevo é um dos mais antigos do mundo, formando ainda na era Pré-cambriano.


    O países que compõem esse continente são: África do Sul, Angola, Botswana, Comores, Lesoto, Madagascar, Malawi, Maurícia, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Zimbabwe, Chade, República do Congo, República Centro-Africana, Congo, Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Camarões, Costa do Marfim, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial,Libéria, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, Togo, Argélia, Egito, Líbia, Marrocos, Sudão, Tunísia, Burundi, Djibouti, Eritreia, Etiópia, Quênia Ruanda, Seychelles, Somália, Tanzânia e Uganda


    Menor continente do planeta, a Oceania é composta por 14 países e 14 áreas de domínio de outros países, entre ilhas e arquipélagos. Basicamente é formado pela Austrália e por Ilhas do Pacífico. Os países independentes que formam o continente são: Austrália, Fiji, Ilhas Marshall, Ilhas Salomão, Kiribati, Micronésia, Nauru, Nova Zelândia,Palau, Papua Nova Guiné, Samo Ocidental, Reino de Tonga, Tuvalu e Vanuatu. Desses o de maior área é a Austrália.


    Seu clima está baseado nas zonas climáticas intertropicais e temperadas. Por não estarem ligadas fisicamente, cada região desse continente apresenta suas próprias características de formação geológica e de vegetação. 


Os Oceanos


Oceanos são grandes porções de água salgada, que separam os continentes e que ocupam, aproximadamente, 71% da superfície da terra. A menção de Yuri Gagary de que “ a terra é azul” se deve à imensa quantidade de água existente  no nosso planeta. A divisão para essa área de água é em cinco oceanos: Pacífico, Atlântico, Índico, Glacial Ático e o Glacial Antártico. Nem toda porção de água é chamada de oceano: existem mares, canais, golfos e etc. As diferenças entre cada um deles estão ligadas ao seu formato, local e, no caso do oceano, de sua salinidade. Grande parte dessa área está a mais de 3000 metros de profundidade; portanto, ainda não estão bem explorados. O oceano ainda é uma área que o homem não explorou totalmente.

    O Oceano Pacífico tem esse nome por ser um oceano mais calmo para se navegar do que o Atlântico. Esse “batismo” foi realizado por Fernão Magalhães, navegador português, aproximadamente em 1520. É o maior oceano da terra em extensão com, mais ou menos, 180 milhões de Km2 de massa aquática e representa um terço do planeta . De todos os oceanos é um dos mais profundos e, por isso, um dos menos explorados, tendo mais de 80% de suas águas abaixo de 3000 metros. Se localiza entre o continente americano, a Austrália, a Ásia e a Antártida. Uma característica “peculiar” do oceano Pacífico é a grande quantidade de vulcões que existem devido à Placa Tectônica do Pacífico, que está ligada às placas tectônicas das Filipinas, Eurasiana, Indiana, Nazca e à placa Norte Americana. Em virtude de todas essas placas juntas, e a sua fricção, muitos vulcões e e terremotos acontecem no Oceano Pacífico. Outra grande incidência no Pacífico é a de mares: grandes mares estão ligados ao Pacífico como Mar do Japão, Mar dos Corais, Mar de Java e outros.


    O Oceano Atlântico é o segundo maior oceano do globo e está localizado entre os continentes americanos, africano e europeu, tendo um formato de letra “S”. Seu nome vem da divindade mitológica “Atlas”, um Titã que teria sido o primeiro rei da cidade, também mitológica de Atlântida. Mais tarde, Atlas foi condenado, por Zeus, a carregar os céus eternamente. Apesar de não ser o maior oceano, é o que está ligado a mais países, inclusive o Brasil. Por estar ligado às grandes potências da expansão marítima, ocorrida na revolução comercial no século XV até XVIII, foi o oceano navegado para as primeiras rotas comerciais existentes, como a de Portugal às Índias e ao Brasil. 


    O Oceano Atlântico ocupa em torno de 17% da superfície da terra e 26% da área ocupada por água no planeta. Sua extensão está em torno de 106.200.000 Km2. Em seu interior existe a cordilheira meso-oceânica, resultante do atrito entre as placas tectônicas sul-americanas e da placa Africana. De todos os oceanos é o mais salgado, o segundo em extensão e o que banha mais países.  As temperaturas mais altas desse oceano ficam perto do Equador e chegam à 30ºC, já as mais baixas giram em torno de -2ºC, no inverno, próximo ao oceano Antártico. Sua maior profundidade se localiza na Fossa de Porto Rico, alcançando 8.605 metros.


    O terceiro maior oceano do mundo é o Índico. Está localizado entre a o continente africano, asiático, antártico e também com Austrália e Indonésia. Tem uma área aproximada de 74.000.000 Km2, menos da metade da área do maior Oceano, o Pacífico. Sua maior profundidade é de 7.455 metros, localizada na fossa de Java. Sua temperatura mais alta está registrada na área do Golfo Pérsico e Mar Vermelho, chegando aos 32º C. Já as temperaturas baixas ficam na divisa com o oceano Antártico, de -1ºC.


    Esse oceano tem elevada importância econômica: abastece o consumo de peixes e camarões  da Ásia e para exportação, serve de rota para o petróleo vindo do Golfo Pérsico e da Indonésia,  a grande quantidade de petróleo que abriga além de muitos minérios que são obtidos nesse oceano. Por ser um oceano bem mais calmo que o Atlântico e do que o Pacífico, é o preferido para se fazer rotas comerciais, já que são mais fáceis de serem navegados.


    Sendo composto pelas águas que banham o continente Antártico, o Oceano Antártico só fica á frente do Oceano Ártico em extensão. São 20.327.000 Km2. É o único que consegue rodear todo o planeta, formando ma círculo completo. É também o mais “novo”, já que foi reconhecido oficialmente em 2000, pela Organização Hidrográfica Internacional, que determinou seus limites que, inclusive, são os mesmos do tratado Ártico. Tanto o oceano quanto o continente Antártico são usados para fins pacíficos e de pesquisas por países como França, Nova Zelândia, África do Sul, Estados Unidos e Brasil. Abriga mais de 80% da água doce do mundo. Sua profundidade mais alta está em torno de 5.000 metros. Sua temperatura média varia entre 10 graus positivos e -2 graus. Um detalhe curioso é que esse oceano tem a maior corrente do mundo: a Corrente Circumpolar Antártica, que se move sempre para leste.


    O menor oceano é o Ártico. Está localizado no hemisfério norte  entre os países: Canadá, Noruega, Suécia, Finlândia, Islândia e Rússia. Sua maior profundidade é de 4 Km, sendo o mais raso entre os oceanos. Já sua área é de 13 milhões de Km2. É também o menos salgado  pela baixa evaporação que acontece nas erras em sua volta e pela grande quantidade de águas doce que circulam em seu meio. Sua temperatura não varia muito, estando sempre próxima à temperatura de 0ºC.

Planeta Terra

Ultima atualização: 21/08/2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...